Governo Alagoas
Acusação

Secretária de Educação de Lagoa da Canoa diz que assessoria do Ministério Público foi comprada

Joana Darque prestou depoimento sobre suposta compra de material escolar sem licitação

11/07/2024 06h09
Por: Paulo Marcello
Ministério Público de Alagoas | Foto: Ascom MPE
Ministério Público de Alagoas | Foto: Ascom MPE

A Secretária de Educação de Lagoa da Canoa, Joana Darque Lima, acusa a assessoria de comunicação do Ministério Público de Alagoas (MPE) de ter vasado informações de seu depoimento, nesta quarta-feira (10), no episódio das denúncias sobre a aquisição de livros escolares, supostamente superfaturados, pela prefeitura municipal. A gestora não gostou de encontrar com jornalistas em frente a sede do MPE, em Maceió.

Joana Darque é alvo de investigação na aquisição da obra “Super Almanaque de Português Ilustrado” que teria sido realizada sem o processo de licitação, no valor de R$ 359 mil. A investigação teve início após a Promotoria de Justiça ter identificado que foram efetuados três pagamentos deste valor para a mesma empresa em 2021, totalizando mais de R$ 1 milhão.  

Ela fez duras acusações contra os assessores do Ministério Público de Alagoas, afirmando que eles teriam sido comprados pelo candidato da oposição em Lagoa da Canoa. Joana também disse que os supostos membros da comunicação do MPE, "sequer, sabiam perguntar o motivo da presença dela no local".

O que diz o MPE

Após o episódio, o Ministério Público emitiu uma nota, afirmando serem infundadas as acusações da Secretária de Educação de Lagoa da Canoa.

"Ela não teve contato com a assessoria de comunicação desta instituição, nem com qualquer veículo de imprensa durante sua presença nas dependências do Ministério Público. Portanto, são infundadas as afirmações de que "equipes de comunicação, possivelmente contratadas pela oposição em Lagoa da Canoa", estiveram presentes e agiram de maneira inadequada", diz parte da nota do MPE.

Leia a nota abaixo:

O Ministério Público de Alagoas informa que a promotora de Justiça Cíntia Calumby recebeu, na manhã desta quarta-feira (10), na sede do MPAL, em Maceió, a secretária de Educação de Lagoa da Canoa, Joana Darque Lima Rosendo, para um depoimento no âmbito de um procedimento em andamento, que corre sob segredo de justiça.

Em relação às declarações recentes da secretária, esclarece-se que ela não teve contato com a assessoria de comunicação desta instituição, nem com qualquer veículo de imprensa durante sua presença nas dependências do Ministério Público. Portanto, são infundadas as afirmações de que "equipes de comunicação, possivelmente contratadas pela oposição em Lagoa da Canoa", estiveram presentes e agiram de maneira inadequada.

O Ministério Público reitera seu compromisso com a transparência e a imparcialidade em todos os procedimentos que conduz, assegurando o devido respeito aos direitos de todos os envolvidos. 

O que disse a secretária

Joana Darque lamentou o fato de haver, na sede do MPE-AL, em Maceió, equipes de comunicação, que podem ter sido contratadas pela oposição em Lagoa da Canoa, que sequer, sabiam perguntar o motivo da presença da secretária no local.

“Não tentem macular a educação. O trabalho feito pela prefeita Tainá Veiga em Lagoa da Canoa tem sido lindo, evolutivo e transparente. Procurem outro caminho, procurem trabalhar com a verdade, e deixem a nossa educação em Lagoa da Canoa continuar se desenvolvendo”. 

“Não há qualquer dúvida ou irregularidades sobre a compra dos livros escolares. Nós que fazemos a Secretaria de Educação de Lagoa da Canoa trabalhamos com responsabilidade, respeito, transparência e eficácia. Aqui no Ministério Público, foi tudo tranquilo, e apresentamos todas as informações requeridas sobre a aquisição dos livros que ajudam desenvolver ainda mais a nossa educação”, disse a secretária.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias